segunda-feira, 30 de julho de 2012

O relato

Já faz algum tempo desde que escutei pela ultima vez 
o meu coração bater
lembro-me  como me senti
naquela velha manhã de setembro
meu coração congelado estava
era o meu fim
dei o meu ultimo suspiro
o meu coração havia desistido de mim
era lamentável o estado em que eu me encontrava
por alguns instantes senti pena de mim mesma
lembranças rodeavam minha  mente
eu era protagonista do meu próprio filme chamado vida
e o que era incerto finalmente teve o seu fim
tudo foi tão rápido
a morte tinha decidido levar-me
já era de se esperar 
todos em algum momento terão de começar uma nova jornada
e apenas as lembranças passadas continuaram vivas
por todos os dias que a sua alma ainda estiver vagando por ai
seus restos te faram lembrar deste dia
e embora naquele tempo eu ainda tivesse um coração
a minha alma havia abandonado o meu corpo anos antes. 

2 comentários:

  1. No melhor do viver-te, ó vida, há, com a da morte contrapartida, um doce e constante flerte.
    GK

    ResponderExcluir